DISCIPLINEX

Origem dos seres Eucariontes.

Posted by disciplinex em Fevereiro 1, 2009

A origem da diversidade de vida na Terra terá tido origem nos seres procariontes, pensa-se que terão sido os primeiros seres a surgir pelo facto de apresentarem uma simplicidade tanto a nivel estrutural como funcional.

Posteriormente, terão surgido as primeiras células eucarioticas que, associadas entre si, deram origem a seres multicelulares que encontramos actualmente.


Qual a origem das células eucarioticas?

Existem dois modelos que explicam a origem das células eucárioticas:

– Modelo Autogénico

– Modelo Endossimbiótico

Modelo Autogénico

As células eucarioticas, segundo o modelo autogenético, terão surgido a partir de invaginações da membrana palsmatica de células procarioticas ancestrais.  A ocorrência desse fenómeno origina estruturas endromembranares, que se isolam rodeando porções de DNA. Posteriormente se especializam, formando os organelos, tais como o núcleo individualizado, cloroplastos e mitocondrias.

Este modelo é apoiado pelo facto de a membrana dos organelos endromembranas manter a mesma assimetria da membrana plasmatica da célula.
Contudo,  era contestado pois pressupõe que, numa célula eucariotica, o DNA do núcleo e o DNA das mitocondrias e dos cloroplastso sejam semelhantes, no entanto, tal não se verifica.

O DNA dos  mitocondrias e dos cloroplastos é mais idêntico a bactérias autónomas do que do DNA do próprio núcleo.

Modelo Endossimbiotico

Segundo o modelo endossimbiotico as celulas procariontes terão incporporado bacterias autonomas, estabelecendo uma relação de simbiose entre as bacterias e a celula hospedeira de maiores dimenões. Os mitocondrias e os cloroplastos são o resultado do aglomeramento de cianobacterias e bactérias aerobias.

Este modelo ainda assim não explicava a formação do nucleo nas celulas eucariontes, mas deduz-se que tido origem atraves de invaginações da membrana que envolveram o material genetico.

sem-titulo

Posted in Biologia 11 | Com as etiquetas : , , , , , | Leave a Comment »

Ciclo de vida Haplodiplonte

Posted by disciplinex em Dezembro 1, 2008

haplodiplonte

Por tópicos:

O ciclo é Haplodiplonte pelo facto de em cada fase nuclear (haplofase e diplofase) se verificar estruturas multicelulares.

1- Ocorre a Fecundação.

2- O Ovo, diploide, experimenta várias mitoses, originando inuméras células que se diferenciam entre si. Forma-se assim um organismo multicelular diploide, designado de Esporófito.

3- As células que se vao especializar nos esporos vão sofrer meiose, ou seja, dão origem a células haploides.

4- Os Esportos (células haploides) vão se dividir, ocorrendo mitoses, esta divisão permite a formação de uma estrutura multicelular, desta vez haploide.

A estrutura multicelular Haploide é designada de Gametófico, que possui os sistemas reprodutores do ser vivo

Sistema Reprodutor Masculino (ou gametângio masculino) -> Anterídios, que produzem gâmetas masculinos -> Anterozoides

Sistema Reprodutor Feminino (ou gamentângio feminio) -> Arquegónios, que produzem gâmetas femininos -> oosferas.

Assim, no gametófico formam-se gâmetas que posteriormente irão se fecundar, originando um novo ciclo.

Existe alternância de fases nucleares, pois ocorreu a meiose e a fecundação, possibilitando a existencia de estruturas tanto diploides como haploides.

Existe alternancia de gerações, geração gametófica e geração esporófita.

A geração esporófica (fase diploide) compreende as estruturas desde a formação do zigoto até ás células mães dos esporos, é designada geração espórofica pois nesta existem estruturas que formam esporos

A geração gametófica (fase haploide) compreende as estruturas desde a formação de esporos até á formação dos gâmetas.

É designada gametófica devido a que nesta geração existem estruturas que formam gâmetas.

Posted in 1 | Leave a Comment »

Ciclo de vida Diplonte

Posted by disciplinex em Dezembro 1, 2008

diplonte

Verificamos que este ciclo é Diplonte pelo facto de a estrutura multicelular ser Diplonte, ou seja, o organismo adulto conter células cujo núcleo é diploide.

Ocorre a Fecundação, originando um ovo diplonte que irá sofrer sucessivas mitoses e irá se diferenciar, originado uma estrutura multicelular.

As células que se irão especializar nos gâmetas irão sofrer meiose, é designada meiose pré-gamética.

Repete-se o ciclo quando houver fecundação dos gâmetas formados.

Posted in Biologia 11 | Com as etiquetas : , , | Leave a Comment »

Ciclo de Vida Haplonte

Posted by disciplinex em Dezembro 1, 2008

haplonte

Ocorre a fecundação, originando uma estrutura diploide, o ovo.

O ovo vai sofrer meiose (meiose-pós-zigótica), em que ocorrera uma divisão reducional, passando a originar 4 células geneticamente diferentes, ao qual 3 delas se degeneram ficando apenas uma funcional.

Essa célula irá sofrer mitoses e ocorrerá diferenciação, originando uma estrutura multicelular haplóide.

Na formação dos gâmetas ocorrerá a posterior fecundação.

O ciclo é haplonde porque as estruturas mais desenvolvidas encontram-se na haplofase, pois a unica estrutura diplonte é o ovo.

À alternância de fases nucleares é devido a ocorrência de processos como a Meiose e Fecundação.

A meiose permite a redução cromossómica em que as células diploides passam para haplóides, apresentado-se estruturas haploides, como também a fecundação permite a duplicação cromossómica permitindo a existencia de estruturas cujo nucleo é diploide.

Posted in Biologia 11 | Com as etiquetas : , , | 2 Comments »

Ciclos de Vida

Posted by disciplinex em Dezembro 1, 2008

O ciclo de vida de um organismo intervêm desde a formação deste até á transmissão de sua descendência.

Existem três tipos de ciclos celulares:

-> Ciclo de vida Haplonte

-> Ciclo de vida Diplonte

-> Ciclo de vida HaploDiplonte

Verifique a caracterização de cada um nos próximos post’s.


Posted in Biologia 11 | Com as etiquetas : , , | Leave a Comment »

Reprodução Sexuada nas Plantas

Posted by disciplinex em Novembro 22, 2008

Estrutura das plantas

Os orgãos reprodutores ou as estruturas onde se produzem os gâmetas, nas plantas, são designados por Gametângios, e como tal, existem gametângios femeninos e masculinos.

Os gâmetangios masculinos são designados por Estames e os gametângios femeninos são designados por Carpelos

Os Estames são constituidos por Anteras e Filetes e os Carpelos são constituídos por o Estigma, o estilete e os ovários.

As anteras sao constituídas por tubos polínicos que produzem os gâmetas maculinos – os grãos de polen.

Os ovários produzem os gâmetas femeninos – os óvulos.

A reprodução sexuada efectua-se quando ocorre uma transferência dos grãos de pólen para o sistema reprodutor das plantas (mais propriamente no estigma), ocorrendo a polinização.

A polinização é Directa, se se verificar que os grãos de polen caem sobre o estigma da propria planta. (isto só é possivel em plantas hermofroditas, que possuem os dois gametângios)

A polinização é cruzada quando se verifica que os grãos de polen caem sobre o estigma de outras plantas.

Os agentes responsáveis pelo tramsporte dos grãos de polen são tanto abioticos (factores ambientais) como bioticos (seres vivos) .

Como se efectua o processo de fecundação?

Os grãos de polen ao cairem sobre o estigma do sistema reprodutor da planta, ou seja, do carpelo, váo formar um longo tubo polínico sobre a estilete até penetrarem no ovário.

Ocorrerá a junção entre o gâmeta femenino e masculino, processando-se a fecundação.

Posteriormente formará a semente.

Posted in Biologia 11 | Com as etiquetas : , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

Reprodução Sexuada nos Animais

Posted by disciplinex em Novembro 22, 2008

O facto de afirmarmos que existe reprodução sexuada nos animais, estamos a afirmar que ocorre fecundação entre os mesmos.

Logo, á a junção de um gâmeta feminino com um gâmeta masculino.

As estruturas onde se produzem os gâmetas são designadas por gónadas

Á animais que tanto possuem os gónadas masculinos como também possuem os gónadas femininos, são designados por hermafroditas.

No entanto, os animais que possuem só um tipo de gónadas (ou masculino, ou feminino) são designados por unissexuados.

Fecundação em Animais Hermafroditas

Nos Animais hermafroditas, visto possuírem tanto sistema reprodutor masculino como também feminino podem se autofecundar (fenómeno da autofecundação), ou seja ocorrer fecundação num só indivíduo.

Nestes casos, a variebilidade genética reduz-se só a um indíviduo.

Fecundação em Animais Unissexuados

Nos animais unissexuados, visto cada indíviduo possuir só um tipo de gónada, masculino ou feminino, a fecundação ocorre obrigatoriamente entre dois indivíduos.

Existem dois tipos de fecundação: externa e interna


Fecundação externa

A fecundação externa efectua-se exclusivamente em animais que se reproduzem em meio aquático e a sua eficácia resulta numa libertação simultânea e em grande quantidade dos gâmetas.

Posteriomente, os espermatozóides fecundam os óvulos.

A membrana especifica dos óvulos permite que somente os espermatozoides da mesma espécie que os óvulos os fecundem, isto eviencia que só ocorre fecundação entre indíviduos da mesma espécie.

Fecundação Interna

A fecundação interna ocorre no interior do organismo dos seres vivos.

Os machos introduzem os espermatozoides no sistema reprodutor das fêmeas, ocorrendo o fenómeno da fecundação.

Jamais poderia ocorrer fecundação externa em meio terrestre, visto que os gâmetas sofreriam dessecação.

Posted in Biologia 11 | Com as etiquetas : , , , , , , | Leave a Comment »

Mitose e Meiose

Posted by disciplinex em Novembro 21, 2008

Como já estudado o processo de Meiose e Mitose é importante fazer um último esquema que acentue as pricipais caracteristicas e diferenças de cada um dos processos.

Caracteristicas gerais:

Mitose:

  • Não se verifica emparelhamento dos cromossomas
  • As células resultantes da mitose são diplóides tal como a célula que as formou
  • As células originadas por mitose são geneticamente iguais á célula que lhes deu origem
  • Os cromossomas separam-se pela ruptura dos centrómeros
  • Só engloba uma divisão – divisão equacional
  • Verifica-se que, na anáfase a quantidade de DNA se reduz para metade em relaçao á celula inicial, no entanto, os cromossomas se mantém uniformes.

Meiose:

  • À emparelhamento dos cromossomas
  • Formação de bivalentes
  • Os pares de cromossomas homólogos formam pontos de quiama
  • Engloba duas divisões: a divisão I: divisão reducional e divisão II: divisão equacional
  • Ocorre crossing-over
  • á ruptura dos cromossomas pelos pontos de quiasma
  • a célula inicial é diploide e vai dar origem, por meiose, a 4 células geneticamente diferentes haploides.

Posted in Biologia 11 | Com as etiquetas : , , | 2 Comments »