DISCIPLINEX

Archive for Outubro, 2008

Ciclo Celular

Posted by disciplinex em Outubro 12, 2008

Introdução

A célula é a unidade básica de vida, pois é a partir dela que se constitui um organismo complexo.

Isto é, as celulas têm a capacidade de se dividirem em outras geneticamente iguais á que as dividiu, basta pensar no caso dos Humanos em que tudo começa por uma unica célula – célula-ovo – e que a partir desta orginaram-se duas geneticamente iguais e assim sucessivamente até constituir um organismo com inumeras células.

A célula é assim a base de crescimento dos seres vivos.

Nos seres unicelulares a divisão celular toma a designação de reprodução, visto que são seres muito simples e a partir de uma célula se podem formar 2 ou mais independentes geneticamente iguais.

Nos seres pluricelulares são necessários muitas divisoões para se constituir um organismo completo.

Anúncios

Posted in Biologia 11 | Com as etiquetas : , , , , , , | Leave a Comment »

Mutações Genéticas

Posted by disciplinex em Outubro 10, 2008

As Mutações genéticas são alterações ao nível da sequência de bases de nucleotidos que, consequentemente origina proteínas diferentes á suposta para desempenhar determinada função no Organismo.

Existem dois tipos de Mutações:

Mutações Germinativas: este tipo de mutações ocorrem somente em células dos gâmetas

Mutações Somáticas: este tipo de mutações ocorrem em todas as outras células de corpo excepto nas células dos gâmetas.

As mutações germinativas são as únicas que podem ser transmitidas á descendência, as somática não são hereditárias.


Como ocorrem as Mutações?

As Mutações ocorrem a quando da Replicação do DNA, ou seja, quando as cadeias nucleotídicas se separam o procedimento normal é se ligarem por complementariedade aos nucleotídicos existentes no núcleo, mas não é isso que se verifica, um aminoácido pode se ligar a outro que não seja complementar a este, (por exemplo: um aminoácido cuja base azotada é a Timina, se ligue com outra base azotada Guanina, isto é uma mutação genética pois se deveria ligar uma Adenina). Isto leva à uma sequência de bases diferentes, logo vai codificar uma proteína diferente com função específica diferente á que supostamente deveria ser formada.

Existem casos em que as mutações não são relevantes pelo facto que vários codões poderem codificar a mesma proteína. Como também a proteína que supostamente esta ausente devido á mutação pode não ter um papel tão fundamental ao organismo.

As Mutações não são, de todo, uma vertente negativa pois estas são responsáveis por uma grande diversidade de genes, codificando proteínas com novas capacidades, o que traduz numa evolução de espécies.

Posted in Biologia 11 | Com as etiquetas : , , , , , , , , | 2 Comments »

If Clauses

Posted by disciplinex em Outubro 4, 2008

Zero Conditional

-> Para exprimir leis naturais.

If + Present Simple + Present Simple

If water boils, it turns into steam

First Conditional

-> Para falar de uma situação ou acontecimento que é possível acontecer no passado ou no futuro

If + Present Simple + Future

If i study, i will have good marks

-> Para dar uma ordem ou conselho

If + Present Simple + Imperative

If i ask you, answer!

Nota: A distinção em usar o Imperativo e o Futuro é que o Futuro vem acompanhado de sujeito e o Imperativo nunca tem o sujeito antes do verbo.

Second Conditional

-> Para falar de situações que são impossíveis ou irreais.

If + past simple + conditional

If i had time, i would study more

Third Conditional

->Para falar de coisas impossíveis no passado, imaginar coisas que não aconteceram.

If + past perfect + conditional perfect

If i had saw that, i would have been sad

Unless

-> Significa “a nao ser que”/”se não”. Utiliza-se para substituir o “if not”

Example:

If i don´t do the homework, i will have bad marks

Unless i do my homework, i will have bad marks

Modal Verbs

Existem certos verbos que substituem certos tempos.

Os verbos representados pelo tempo Futuro são:

– Will

– may

– Can

– Shall

Example:

If i study, i can have good marks

Os verbos que vêm no tempo Conditional são:

– Would

– Could

-Might

-Should

Example:

If i had time, i should study more

Posted in Inglês | Com as etiquetas : , , , , , , , , , | Leave a Comment »

Migração e Tradução do RNAm!

Posted by disciplinex em Outubro 4, 2008

Migração do RNAm

Já é do conhecimento que a molécula de RNAm é formada no núcleo por transcrição do DNA.

Os Ribossomas encontram-se no citoplasma e como são estes que codificam a sequencia do RNAm é necessário que a molécula de RNAm migre do núcleo para o citoplasma.

Tradução do RNAm

A Tradução ocorre no Citoplasma e á acção de 2 tipos de Rna, o RNAm (mensageiro) e o RNAt (tranferência)

1º Fase – Iniciação

A Molécula de RNAm liga-se aos Ribossomas para iniciar a síntese das proteínas.

Os Tripletos constituintes da molécula de RNAm é que codificam um determinado aminoácido, e o conjunto desses codifica uma proteína.

Vemos na sequencia: AUC  GGA  UUU  ACC e podemos ver qual aminoácido o tripleto codifica de acordo com a tabela do código genético.

Neste caso os aminoácidos seriam: Isoleucina, Alanina, Fenilalanina, Treonina.

2º Fase – Alongamento

A cada tripleto da sequência do RNAm chamamos de Codão, então é um codão que codifica um aminoácido. Só que para isso acontecer esse codão tem que estabelecer uma ligação por complementariedade com outro tripleto de nucleótidos que possuem o aminoácido correspondente ao tripleto do RNAm. Chamamos então de Anti-Codão os aminoácidos que se ligam a cada tripleto do Codão.

Numa sequência de codões formar-se-á inúmeros aminoácidos que ligados entre sim formam ligações peptídicas e posteriormente formarão uma proteína.

Quem transporta os Aminoácidos que estão dispersos no citoplasma para os ribossomas é o RNA transferência.

Quando se sabe quando se deve finalizar a sequência de aminoácidos?

Como sabemos, cada codão se liga por complementariedade a um anti-codão, mas existem determinados codões que simplesmente não traduzem nenhum anti-codão, significando a finalização da sequência de aminoácidos e estará assim representada uma proteína.

A cadeia polipeptídica separa-se dos componentes e posteriormente dará inicio a novas fabricações de proteínas.

Posted in Biologia 11 | Com as etiquetas : , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

Transcrição do DNA para RNAm

Posted by disciplinex em Outubro 3, 2008

Transcrição: No núcleo a Molécula de Dna tem uma determinada sequência que descodifica determinada proteína!

Sabemos que uma proteína é um conjunto de aminoácidos e estes se ligam por ligações peptídicas!

Um aminoácido corresponde a 3 nucleótidos, ou seja cada tripleto de nucleotidos codifica um aminoácido e um conjunto de tripletos codifica uma proteína.

Sabemos ainda que a baze azotada dos nucleótidos do DNA é A, C, T, G e que os de RNA é A, C, G, U!

Como se processa?

A molécula de DNA vai se abrir, ou seja, as duas cadeias nucleotídicas vao-se separar, dando opurtunidade a uma sequencia de nucleótidos correspondentes ao Rna que estão presentes no núcleo se juntarem por complementariedade aos nucleótidos de uma das cadeias de DNA. A molecula de Rna fica construida e posteriormente as cadeias de DNA se juntam novamente na forma original.

Se virem no esquema de cima ao A do DNA corresponde ao T do RNAm, assim como C do DNA = G do RNAm,  T do DNA =A do RNAm e A do DNA= U do RNAm. Assim é que se estabelecem as ligações formando o RNA.

No processamento ou maturação é devido a haver na molécula de RNAm Intrões que não têm qualquer significado proteico, ou seja, não codificam nenhuma aminoácido, tornando-se inúteis. Há a necessidade de remover esses Intrões e isso passa pelo Processamento e Maturação.

Após este a Molécula de RNa é funcional!

Posted in Biologia 11 | Com as etiquetas : , , , , , , , , , | Leave a Comment »

Síntese das Proteínas

Posted by disciplinex em Outubro 3, 2008

Como se formam as Proteínas?

Existem três fases fundamentais:

– Transcrição

– Migração

– Tradução

1- Transcrição: No núcleo, um segmento/porção de uma das cadeias polinucleotidícas é copiado, sendo transcrito para um RNA mensageiro, pois é este o responsavel pelo transporte da informação genética.

2-Migração: O RNAm que contém a informação genética vai migrar para o núcleo, pois é la que se encontram os ribossomas.

3-Tradução: A Molécula de RNAm irá iniciar o processo de formação de proteínas nos ribossomas, responsaveis pela formação das proteínas, formando assim longas cadeias de aminoácidos.

Posted in Biologia 11 | Com as etiquetas : , , , , , , | Leave a Comment »

O RNA – O impulsor da síntese das proteínas

Posted by disciplinex em Outubro 3, 2008

O que é o RNA?

O RNA (ácido ribonucleico) é uma molécula cuja constituição entra só uma cadeia polinucleotídica, que por sua vez esta é constituída por inúmeros aminoácidos. Ao nível dos Aminoácidos a pentose do Rna é a ribose e as bases azotadas são: Guanina, Adenina, Citosina, Uracilo.

Existem 3 tipos de Rna’s que intervêm na elaboração de proteínas: Rna mensageiro, Rna de transferência e Rna ribossómico.

Qual a função do RNA?

A função do Rna é produzir proteinas para exercer determinadas funções no organismo, basicamente o Rna é o “mensageiro” da informação genética presente no DNA.

Ou seja, a informção genética contida no DNA codifica uma certa proteina, mas é o Rna que a partir do Dna vai fazer com que seja possivel a realização desse processo, como iremos ver a seguir.

Posted in Biologia 11 | Com as etiquetas : , , , , , , , , , , | 2 Comments »