DISCIPLINEX

Datação Relativa

Posted by disciplinex em Julho 14, 2008

A Datação relativa não se usa unidades de tmepo, ou seja, não é revelante neste metodo saber em que altura do tempo se formara, mas sim comparar estratos e fósseis com outros estratos e fósseis e observar os mais recentes dos mais antigos. Conseguimos isso através de vários princípios:

  • Princípio da Horizontalidade e Sobreposição de estratos

Este princípio baseia-se na interpretação dos estratos, ou seja, os sedimentos (que originam rochas sedimentares) são compactados e cimentados e foram camadas, e ao longo do tempo, outra camada ir+a se formar acima desta, então é logico conseguir distinguir que a camada mais recente é que se formou mais tarde, assim conseguimos verificar atráves de estratos/camadas os mais recentes e os mais antigos.

Em suma: O estrato mais recente é aquele que se sobrepõe a outro e o estrato mais antigo é aquele que antecede a outro

Exemplo:

Conseguimos observar que A é o mais antigo de todos os restantes estratos (B,C,D), e D é o mais recente que todos os restante estratos (C,B,A).

Estes estratos têm sempre uma direção horizontal, se a estrutura dos estratos apresentar uma direcção diagonal (chamada discordância) é porque os estratos sofreram pressões.

  • Princípio da Identidade geológica

Este princípio é muito simples – estratos que, independentemente da distância contenham os mesmos fósseis formaram-se no mesmo período tempo, ou seja, têm a mesma idade relativa, verificamos também que nessa altura para ambos os estratos o ambiente era semelhante essencial á sobrevivência do ser (agora fóssil).

  • Princípio da Intersecção ou Corte

Este princípio desencadeia-se por um corte de uma rocha nos estratos, isto permite tirar várias conclusões, vejamos:

Pelo princípio da sobreposição e horizontalidade de estrato verificamos que A é o mais recente de todos e o D é o mais antigo, até aqui está tudo bem, mas verificou-se um corte nos estratos por uma rocha e a conclusão que podemos tirar através deste princípio é que E é mais recente que A, B, C e D.


  • Princípio da Inclusão

Este princípio explica-se pela aglomeração de uma rocha noutra mais antiga, por exemplo:

A rocha A formada primeiramente foi envolvida por uma outra rocha (B), concluímos através deste princípio que a rocha A é mais Antiga que a Rocha B.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: